Pela primeira vez desde seu anúncio, a BioWare trouxe a público novidades de Mass Effect Andromeda, o novo jogo da série que dá continuidade à franquia Mass Effect. Porém, como nem tudo na vida acontece da forma que gostamos, essas novidades acabaram decepcionando alguns fãs da série.

Mass Effect é uma trilogia de Shooter RPG, cuja narrativa é centrada na vida de Comandante Shepard. No ano de 2148, a humanidade encontrou uma tecnologia em Marte que avançou o desenvolvimento científico em 10 mil anos, possibilitando alcançar velocidades acima da velocidade da luz. Essa tecnologia recebeu o nome de “Mass Effect”. Por meio dos Mass Effects, a humanidade começou a explorar cada vez mais o espaço e a desenvolver armas cada vez mais poderosas. Shepard, o(a) protagonista da franquia até aqui, é um(a) humano(a) líder de um esquadrão de elite da Aliança, as forças armadas interestelares dos humanos. Shepard passa por diversos problemas e as suas relações com as pessoas, espécies e grupos políticos são o que vão dando mais profundidade ao game.

Quem conhece a franquia já deve ter escutado que um dos aspectos mais esperados para uma continuação “pós-Shepard” da série seria a possibilidade de jogar com personagens não-humano(a)s como protagonista. O que gerou muito dessa expectativa foi a franquia Dragon Age com Dragon Age Inquisition, sequência de Dragon Age 2, onde você era obrigado a jogar com um(a) humano(a). Entretanto, já foi confirmado que os protagonistas de Mass Effect Andromeda são irmão e irmã, ambos humanos e filhos de alguém que nós já conhecemos da franquia e que não foi anunciado. Isso é uma pequena decepção, pois quebra algo que já era bastante esperado pelo público e que a BioWare poderia ter pensado em fazer sem problemas. Ainda não podemos tirar conclusões precipitadas de um jogo com o foco na narrativa como Mass Effect, mas fica aquela sensação de chance desperdiçada para algo novo e interessante na série.

Outro ponto que podemos avaliar desse trailer foi o total foco nos visuais do game como na parte gráfica pelo uso da tecnologia 4K, mas sem se aprofundar em nada nos detalhes da história, que é o principal atrativo da série. O que seria de Mass Effect sem sua narrativa ramificada, personagens únicos e memoráveis e as questões éticas e políticas tão bem trabalhadas? Mass Effect 2 é um jogo eterno mesmo sem os melhores gráficos, pois não é esse o apelo do jogo.

Não foi mostrado muito no trailer além de poucos minutos de movimentação por um cenário sem combate ou diálogos e uma cutscene. E vale muito bem lembrar que a cada jogo da franquia, alguns detalhes foram sendo inspirados em outras e adaptados. Um dos exemplos mais perceptíveis é a mudança no combate e na jogabilidade de Mass Effect 2 em comparação ao seu antecessor, fortemente inspirada em Gears of War. Adaptar não é um problema, sendo que ajudou a melhorar drasticamente a qualidade do combate de um jogo para outro, mas ainda não podemos dizer se algo mudou de Mass Effect 3 para o Andromeda somente por esse trailer, além dos gráficos.

Nós só vamos ter as respostas que buscamos no Mass Effect Day, no dia 7 de novembro, quando a BioWare fará um anúncio oficial com todos os principais detalhes do novo game.

 

Compartilhar
Colecionador de HQ’s, games, tralhas e bugigangas, absurdamente apaixonado pelo gênero Fantasy RPG e ainda sonha com o dia em que Qui-Gon Jinn descubrirá sua alta taxa de midichlorians. Fã de Alan Moore, Grant Morrison, Marjane Satrapi, Alison Bechdel, Laerte, e mais uma turma gente fina ae